Arquivo da categoria: Formação profissional

Inscrições para especialização em Gerontologia da Unifesp – últimos dias!

especialização Geronto 2012 Unifesp

Clique na imagem para ver o folder

Faltam apenas dois dias para o término das inscrições para o processo seletivo para o curso de especialização (Lato Sensu) em Gerontologia da Unifesp!

Trata-se de um curso tradicional, extensivo, que exige dedicação integral e exclusiva do aluno. É uma verdadeira imersão no universo gerontológico dos serviços prestados à população idosa, conforme o nível de complexidade. Portanto, há prática supervisionada em enfermaria, ambulatórios, centro de Reabilitação (no caso, o Lar Escola São Francisco) e Programa de Assistência Domiciliar ao Idoso.

Consulte o edital para detalhes clicando AQUI.

____________________________________________________

ATUALIZAÇÃO 2013:

Pela primeira vez desde as origens do curso não haverá estágio no setor de Reabilitação Gerontológica do Lar Escola São Francisco devido à sua extinção em julho/2012. Mais informações sobre as inscrições 2013 CLICANDO AQUI.

Anúncios

Inscrições abertas em Residência Multiprofissional em Saúde na Unifesp

A Universidade Federal de São Paulo – Unifesp, por meio da Comissão de Exames de Residência Multiprofissional em Saúde, está com processo seletivo aberto para preenchimento de vagas de residentes R-1 no Programa de Residência Multiprofissional em Saúde, para o ano 2012.

A Residência Multiprofissional em Saúde da Unifesp constitui em ensino de Pós-Graduação Lato Sensu destinado às profissões que se relacionam com a saúde, sob a forma de curso de especialização caracterizado por ensino em serviço, com duração de dois anos.

Com o objetivo de desenvolver treinamento diferenciado, a residência proporciona aos participantes sua inserção na prática profissional, mediante ensinamentos teóricos e teórico-práticos constantes e integrados em relação às diferentes áreas de atuação, como Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia, Serviço Social e Terapia Ocupacional.

As inscrições acontecem até o dia 31/10/2011 e custam R$ 250,00. A prova objetiva será realizada no dia 13/11/2011. Os candidatos habilitados para a 2ª fase realizarão prova prática nos dias 09, 10 e 11 de janeiro de 2012. Os resultados finais serão divulgados em 30/01/2012, com matrícula em 01, 02 e 03 de fevereiro de 2012.

Para mais informações e para ter acesso ao edital na íntegra, acesse: http://www.proex.unifesp.br/multiprofissional/.

Os candidatos podem se inscrever até o dia 31 de outubro. Veja os programas disponíveis:

hsp-unifesp

Complexo Hospital São Paulo / Unifesp

CAMPUS SÃO PAULO

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE
Profissões: Fisioterapia, Fonoaudiologia e Serviço Social.
Pré requisito: graduação nos cursos correspondentes.

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM ENVELHECIMENTO
Profissões: Enfermagem, Fonoaudiologia, Nutrição e Serviço Social.
Pré requisito: graduação nos cursos correspondentes.

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE MENTAL
Profissões: Enfermagem, Psicologia, Serviço Social e Terapia Ocupacional.
Pré requisito: graduação nos cursos correspondentes e para a Psicologia é exigido Título de Psicólogo.

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM TRANSPLANTE E CAPTAÇÃO DE ÓRGÃOS
Profissões: Enfermagem, Fisioterapia e Psicologia.
Pré requisito: graduação nos cursos correspondentes e para a Psicologia é exigido Título de Psicólogo.

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM NEUROLOGIA E NEUROCIRURGIA
Profissões: Enfermagem, Fisioterapia, Fonoaudiologia e Nutrição.
Pré requisito: graduação nos cursos correspondentes.

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
Profissões: Enfermagem, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Psicologia e Serviço Social.
Pré requisito: graduação nos cursos correspondentes e para a Psicologia é exigido Título de Psicólogo.

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM ONCOLOGIA PEDIÁTRICA
Profissões: Fisioterapia, Fonoaudiologia, Nutrição e Psicologia.
Pré requisito: graduação nos cursos correspondentes e para a Psicologia é exigido Título de Psicólogo.

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM CUIDADOS INTENSIVOS – UTI ADULTO
Profissões: Enfermagem, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Nutrição e Psicologia.
Pré requisito: graduação nos cursos correspondentes e para a Psicologia é exigido Título de Psicólogo.

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM CARDIOLOGIA
Profissões: Enfermagem, Fisioterapia, Nutrição e Psicologia.
Pré requisito: graduação nos cursos correspondentes e para a Psicologia é exigido Título de Psicólogo.

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM ONCOLOGIA
Profissões: Enfermagem, Nutrição e Serviço Social.
Pré requisito: graduação nos cursos correspondentes.

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE DA MULHER
Profissões: Enfermagem, Fisioterapia e Psicologia
Pré requisito: graduação nos cursos correspondentes e para a Psicologia é exigido Título de Psicólogo.

CAMPUS BAIXADA SANTISTA

PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM ATENÇÃO À SAÚDE
Profissões: Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Nutrição, Psicologia, Serviço Social, Terapia Ocupacional.
Pré requisito: graduação nos cursos correspondentes e para a Psicologia é exigido Título de Psicólogo.

Para os interessados na especialização em GERONTOLOGIA da Unifesp, igualmente de caráter multiprofissional mas com duração de um ano, as inscrições também já estão abertas. Atenção: por enquanto esse é o único curso em que os alunos realizam estágio em Reabilitação Gerontológica! Maiores  informações, clique aqui.

Curso de Reabilitação Neuropsicológica pela Unifesp (2º semestre 2011)

Serão iniciadas novas turmas para os Cursos de Reabilitação Neuropsicológica no CPNReab (Unifesp), no 2º semestre de 2011.

Público alvo: profissionais que trabalham com crianças com dificuldades de aprendizagem, adultos com lesão cerebral e idosos com dificuldades cognitivas e quadros demenciais.

As aulas são mensais e a metodologia de estudos está baseada em discussões de casos clínicos.

Para maiores informações, consultar os links: http://www.reabilitacaoneuropsicologica.com/

http://www.cpnsp.com.br/

 

Doutorado em Gerontologia na Unicamp (via Coisa de Velho)

Já havíamos postado anteriormente uma lista de Universidades onde se pode obter título de Mestre ou Doutor na área de Gerontologia (clique aqui). Agora, temos a informação exata do período de seleção do recém-criado programa de Doutorado em Gerontologia da Unicamp. Essa informação é muito importante! Atenção às datas!

Via Portal do Envelhecimento De 25 de abril a 13 de maio de 2011 o Programa de Pós-Graduação em Gerontologia da Unicamp receberá inscrições ao processo seletivo do Doutorado em Gerontologia (10 vagas) O Programa de Mestrado em Gerontologia da Unicamp, atualmente alocado na Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp, já formou mais de 90 mestres, tendo proporcionado o desenvolvimento de pesquisas que resultaram em inúmeras publicações em periódicos … Read More

via Coisa de Velho

Mestrado/Doutorado na área do envelhecimento: onde cursar?

Post atualizado em 13/07/2018.

—————————-

No post anterior tratamos do assunto relacionado às escolhas de cursos de especialização na área do envelhecimento. Neste, pretendo responder aqui rapidamente a uma pergunta que me fazem com mais frequência ainda: onde cursar um Mestrado na área de Gerontologia?

De fato, a pergunta é mais frequente porque a oferta de cursos Stricto Sensu nesse campo do saber é realmente muito menor. Muitas vezes não são oferecidos programas intitulados “Gerontologia”,  contudo, podem apresentar linhas de pesquisa em que o aluno desenvolverá uma dissertação ou tese versando sobre a temática do envelhecimento. Para encontrar cursos com essas características, o nível de conhecimento que o candidato precisa ter sobre os orientadores, os campos de concentração de cada curso ou suas linhas de pesquisa acaba sendo maior. A informação não é tão simples de se encontrar e, na maior parte das vezes, o candidato procura a pós por indicação de um colega ou por ter tido algum contato direto com um docente (congressos, eventos, etc).

Uma recomendação é sempre salutar: cursos de Gerontologia apresentarão um conteúdo programático mais abrangente do que os demais cursos que têm uma linha de pesquisa que faz alguma interlocução com essa área. Sendo um campo interdisciplinar, a temática do envelhecimento poderá ser desenvolvida em diversas esferas, como a sociológica, psicológica ou biológica. É por essa razão que o estudo do envelhecimento pode estar presente em diversos programas, incluindo as ciências básicas. O difícil é encontrarmos um programa com uma linha que vá ao encontro de nossos anseios acadêmicos futuros… Tudo dependerá, portanto, da pergunta de pesquisa que o candidato gostaria de responder. Somente a partir daí – da escolha do objeto de estudo e da formulação das perguntas iniciais – é que o candidato conseguirá triar as universidades e seus programas.

Outra recomendação: conheça diversos institutos de pesquisa e, consequentemente, diversos docentes. Agende visitas e converse com os pesquisadores/professores para se inteirar melhor do programa, das linhas, das exigências, da infraestrutura, das possibilidades de bolsa de estudos.

Abaixo apresentarei uma lista com os cursos Stricto Sensu que têm ligação com Gerontologia, direta ou indiretamente (clique nos links sublinhados para conhecer os programas):

  • Universidade de São Paulo – EACH USP: Gerontologia (Mestrado Acadêmico)
  • Universidade de São Paulo – Faculdade de Saúde Pública (FSP USP): Saúde Pública (obs.: linha de pesquisa em Saúde, Ciclos de Vida e Condições Sociais, com sublinha em Saúde e Envelhecimento)
  • Universidade de Campinas – Faculdade de Ciências Médicas (FCM UNICAMP): Gerontologia (Mestrado e Doutorado)
  • Universidade Federal de São Carlos: Gerontologia (Mestrado Acadêmico)
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte: Fisioterapia (obs.: área de concentração em Avaliação e Intervenção no Processo de Envelhecimento)
  • Instituto de Geriatria e Gerontologia PUC-RS: Gerontologia Biomédica (Mestrado e Doutorado) → programa com nota máxima pela CAPES (7)
  • PUC-SP: Gerontologia (Mestrado Acadêmico) – EM DESATIVAÇÃO
  • Universidade Católica de Brasília – UCB: Gerontologia (Mestrado e Doutorado)
  • Universidade Federal de São Paulo – Unifesp: Saúde Coletiva (obs.: Programa de Saúde Coletiva com área de concentração em Epidemiologia e linha de pesquisa em Epidemiologia do Envelhecimento e das Doenças Crônicas). Mestrado e Doutorado.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ: Psiquiatria e Saúde Mental (obs,: linha de pesquisa em Neuropsiquiatria Geriátrica). Mestrado e Doutorado.
  • Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ): Saúde Coletiva (obs.: dentro da área de concentração em Epidemiologia existe a linha de pesquisa em Envelhecimento, Saúde e Sociedade).
  • Universidade Federal de Pernambuco – UFPE: Gerontologia (Mestrado Acadêmico)
  • Universidade Federal de Santa Maria – UFSM: Gerontologia (Mestrado Acadêmico)
  • Fiocruz Minas: Saúde Coletiva (obs.: linha de pesquisa em Envelhecimento e Saúde). Mestrado e Doutorado.
  • Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG:
  • Faculdade de Medicina de Marília – FAMEMA: Saúde e Envelhecimento (Mestrado Acadêmico)
  • Universidade Cidade de São Paulo – UNICID: Doutorado em Ciências da Saúde (obs.: [1] linha de pesquisa em Doenças do Desenvolvimento e do Envelhecimento. [2] relacionado ao IAMSPE – para mais informações, clique aqui.)
  • Universidade São Judas Tadeu – USJT: Ciências do Envelhecimento (Mestrado Acadêmico)
  • Universidade de Passo Fundo – UPF: Envelhecimento Humano (Mestrado Acadêmico)
  • Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein – SBIBAE: Ciências da Saúde (obs.: linha de pesquisa em Envelhecimento)
  • Universidade Federal da Paraíba – UFPB: Gerontologia (Mestrado Profissional)
  • Instituto Educatie Hoog de Ensino e Pesquisa – EDUCATIE: Psicogerontologia (Mestrado Profissional).

Para se manter sempre atualizado em relação aos cursos existentes e suas respectivas notas, acompanhe na Plataforma Sucupira da CAPES e obtenha informações específicas sobre os programas, incluindo sites e contatos. Além disso, você poderá filtrar sua busca por nota de programa, localização, situação, modalidade e outros.

“(…) os programas brasileiros de pós-graduação voltados para a temática do envelhecimento passaram a ser criados principalmente ao final da década de 1990. O número de programas de especialização, mestrado e doutorado, ainda que crescente, é pequeno. A formação efetiva de mestres e doutores começou a acontecer “quase ontem”. Em que pese o fato de alguns cursos estarem em boa posição na avaliação dos organismos governamentais voltados para a formação de recursos humanos em nível de pós-graduação, a maioria ainda tem bastante que investir para galgar essa condição” [1]

Referência:
1. Prado Shirley Donizete, Sayd Jane Dutra. Os programas de pós-graduação em Geriatria e Gerontologia no Brasil. Textos Envelhecimento  [periódico na Internet]. 2003  [citado  2011  Jan  25] ;  6(2): 31-46. Disponível em: http://revista.unati.uerj.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-59282003000200003&lng=pt.
Nota de atualização: desde a primeira edição deste post, 7 anos atrás, a lista de programas aumentou consideravelmente, mostrando o quanto o estudo do envelhecimento vem avançando no Brasil. Ainda assim, a formação de pesquisadores de alto nível não atinge patamares elevados, pois se percebe a maior oferta de cursos no nível de Mestrado (modalidades Acadêmico e Profissional).

Especializações em Gerontologia – como escolher?

Estamos em janeiro, época em que estão abertas diversas inscrições para processos seletivos de cursos de especialização (pós-graduação Lato Sensu) em Gerontologia e áreas afins. Por ser professora na área do envelhecimento, recebo e oriento muitas pessoas com a mesma dúvida: quais critérios devo levar em consideração na escolha de um curso de especialização em Gerontologia?

Diante de ofertas maciças de curos, saiba escolher aquele que se adequa melhor ao seu perfil profissional.

Sabemos que qualquer curso é um investimento que consome ou uma bela monta em dinheiro, ou uma enorme fatia do tempo livre das pessoas. A dúvida justamente vem a partir do momento em que a oferta de cursos aumenta. Em muitos casos, encontramos os mesmos professores em mais de um curso. Isso os torna então muito parecidos, certo? Nem sempre…

Costumo iniciar qualquer orientação vocacional nessa área guiando-me pelas seguintes perguntas disparadoras:

1. Você já atua exclusivamente em alguma modalidade de assistência à pessoa idosa ou atende estritamente esse público?

  • SIM – nesse caso, recomendo cursos que fundamentem cientificamente seus conhecimentos práticos, ou seja, cursos teóricos. A prática supervisionada em estágios, nesses casos, não é o ideal mas pode ser dispensada. Não se engane: se você só tem 2 pacientes domiciliares, não pode de cara prescindir de prática supervisionada acreditando ser experiente o suficiente na modalidade de assistência domiciliária ao idoso… No entanto, profissionais contratados em instituições de longa permanência (ILPI), homecare especializado em Geriatria ou quem já acumulou muitos anos de prática clínica com essa clientela, podem se dar ao luxo de dispensar estágios.
  • NÃO – se essa é sua resposta honesta, seja igualmente honesto com sua formação acadêmica: prefira cursos extensivos cuja carga horária vá além das 360h previstas pelo art. 5º da Resolução Nº 1 de 8 de junho de 2007. Isso porque se você é recém-formado ou sente que ainda precisa de uma orientação mais próxima por parte de um professor experiente na área, busque cursos com estágio. Dê preferência para aqueles com estágios em diversas modalidades de assistência. Deste modo, você se tornará um profissional com habilidades e competências diversificadas, podendo transitar livremente tanto na atenção primária (baixa complexidade) como em ambulatórios, centros de reabilitação (média complexidade) e hospitais, centros-dia ILPI (alta complexidade). Lembre-se: um especialista em Gerontologia deve desenvolver a capacidade de gerir programas de intervenção em equipe e monitorar longitudinalmente o cuidado global ao idoso, sua família e comunidade, não simplesmente fazer o que sempre fez (fisioterapia, terapia ocupacional, fonoaudiologia, etc.) só que dando ênfase ao público idoso.

2. Você pretende seguir carreira acadêmica?

  • SIM – nesse caso, prefira cursos ligados a Universidades que ofereçam a possibilidade de progressão na carreira por meio da pós-graduação Stricto Sensu (níveis: Mestrado e Doutorado). A vantagem de fazer o Lato Sensu onde se pretende cursar futuramente o Stricto Sensu é óbvia: você já tem a oportunidade de conhecer o corpo docente (talvez até mesmo seu próprio orientador), a infraestrutura local e ganha “pontos extras” no processo seletivo para o nível pretendido (M / D).
  • NÃO se você respondeu não, provavelmente pretende focar sua carreira na prática clínica. Ótimo! Nesse caso, prefira cursos cujos professores atuam em clínicas renomadas ou aqueles com uma imensa cartela de clientes. Quem sabe você não se tornará um futuro assistente de seu professor quando se formar?…

3. Para você a bolsa de estudos é condição necessária para conseguir cursar a especialização?

  • SIM – opte preferencialmente por cursos gratuitos ou aqueles que oferecem bolsas. No geral, para conseguir uma bolsa é necessária uma excelente colocação no ranking do processo seletivo. Portanto, prepare-se bem! Existe muita discussão em torno da cobrança de mensalidades por parte das Universidades públicas. Isso ocorre porque, diferentemente da graduação e do Stricto Sensu, os cursos de especialização, ou seja, Lato Sensu, não recebem verba pública própria. Os cursos, então, para existirem, precisam ser auto-sustentáveis, razão pela qual há cobrança de mensalidades. Contudo, as Universidades federais têm oferecido bolsas aos candidatos com as melhores colocações no processo seletivo aliadas às necessidades financeiras declaradas em formulários de requisição de bolsas. Esse, pelo menos, é o modus operandi da Unifesp.
  • NÃO – então você está no melhor dos mundos: não precisa usar o critério financeiro para escolher seu curso. Mesmo assim, não se atire no primeiro curso oferecido pelo hospital de grife renome antes de analisar bem todas as suas alternativas. Turmas enormes e nenhuma preocupação em entrevistar ou avaliar o curriculum vitae do candidato sugerem “formação em massa”, ou, como costumo apelidar carinhosamente, “curso caça-níquel”… Você não quer pagar duas vezes para ter a formação desejada, não é mesmo?…

Por fim, os cuidados básicos de sempre:

a) pesquise se a instituição que está oferecendo a especialização é credenciada pelo MEC para tal. Diferentemente de graduação, mestrado e doutorado, os cursos Lato Sensu não são credenciados e avaliados individual e periodicamente. A autorização de funcionamento é da instituição (clínica, hospital, faculdade, Centro Universitário, Universidade). Isso consta no art. 1º da resolução já citada acima.

b) para uma excelente formação em Gerontologia, quanto mais diversificado o público, melhor: você terá a chance de trabalhar em equipe, conhecer o raciocínio de outros profissionais e, assim, conseguirá gerir um serviço ou planejar uma ação coordenada em saúde de modo muito mais eficiente!

c) fuja do “ensino bancário” e queira desafiar-se: prefira cursos em que você é o ator principal. Queira elaborar seminários, visitar instituições, elaborar relatórios, participar de reuniões clínicas, ler e discutir artigos internacionais, realizar uma monografia séria com um orientador designado pelo curso. É ilusão achar que numa turma de 40 ou 60 alunos você receberá a assistência que merece.

d) nem sempre quem coordena o curso ministra aulas nele. Isso tem bases no funcionamento burocrático de diversas Universidades, em especial, das públicas. Não precisamos entrar em detalhes sobre isso, mas recomendo que não escolha o curso apenas considerando o nome de quem assina por ele. Ao contrário, analise o curriculum de todos os professores. Se você não tiver acesso ao nomes dos professores para poder avaliar o nível de conhecimento específico de cada um, desconfie.

Não vou aproveitar o espaço para divulgar cursos. As equipes de publicidade das universidades têm estratégias muito eficazes para captar sua atenção. Minha proposta é ajudá-lo a enxergar as oportunidades de formação de modo crítico e econômico, favorecendo uma escolha consciente que atenda às suas necessidades específicas de inserção no mercado de trabalho. Espero ter contribuído! Tenha uma excelente escolha profissional!

Se desejar obter informações sobre a abertura dos cursos de especialização relacionados à GERONTOLOGIA e REABILITAÇÃO GERONTOLÓGICA, preencha o formulário para compor nosso mailing clicando aqui.

Obs.: não enviamos spam, tampouco vendemos listas de email para terceiros, fique tranquilo.

______________
Licença Creative Commons
O trabalho Especializações em Gerontologia – como escolher? de Renata Cereda foi licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 3.0 Brasil.
Com base no trabalho disponível em https://reabgeronto.wordpress.com/2011/01/15/especializacoes-em-gerontologia-como-escolher/.