Arquivo da tag: curso

Inscrições para especialização em Gerontologia da Unifesp – últimos dias!

especialização Geronto 2012 Unifesp

Clique na imagem para ver o folder

Faltam apenas dois dias para o término das inscrições para o processo seletivo para o curso de especialização (Lato Sensu) em Gerontologia da Unifesp!

Trata-se de um curso tradicional, extensivo, que exige dedicação integral e exclusiva do aluno. É uma verdadeira imersão no universo gerontológico dos serviços prestados à população idosa, conforme o nível de complexidade. Portanto, há prática supervisionada em enfermaria, ambulatórios, centro de Reabilitação (no caso, o Lar Escola São Francisco) e Programa de Assistência Domiciliar ao Idoso.

Consulte o edital para detalhes clicando AQUI.

____________________________________________________

ATUALIZAÇÃO 2013:

Pela primeira vez desde as origens do curso não haverá estágio no setor de Reabilitação Gerontológica do Lar Escola São Francisco devido à sua extinção em julho/2012. Mais informações sobre as inscrições 2013 CLICANDO AQUI.

Anúncios

Curso de Reabilitação Neuropsicológica pela Unifesp (2º semestre 2011)

Serão iniciadas novas turmas para os Cursos de Reabilitação Neuropsicológica no CPNReab (Unifesp), no 2º semestre de 2011.

Público alvo: profissionais que trabalham com crianças com dificuldades de aprendizagem, adultos com lesão cerebral e idosos com dificuldades cognitivas e quadros demenciais.

As aulas são mensais e a metodologia de estudos está baseada em discussões de casos clínicos.

Para maiores informações, consultar os links: http://www.reabilitacaoneuropsicologica.com/

http://www.cpnsp.com.br/

 

Mestrado/Doutorado na área do envelhecimento: onde cursar?

Post atualizado em 13/07/2018.

—————————-

No post anterior tratamos do assunto relacionado às escolhas de cursos de especialização na área do envelhecimento. Neste, pretendo responder aqui rapidamente a uma pergunta que me fazem com mais frequência ainda: onde cursar um Mestrado na área de Gerontologia?

De fato, a pergunta é mais frequente porque a oferta de cursos Stricto Sensu nesse campo do saber é realmente muito menor. Muitas vezes não são oferecidos programas intitulados “Gerontologia”,  contudo, podem apresentar linhas de pesquisa em que o aluno desenvolverá uma dissertação ou tese versando sobre a temática do envelhecimento. Para encontrar cursos com essas características, o nível de conhecimento que o candidato precisa ter sobre os orientadores, os campos de concentração de cada curso ou suas linhas de pesquisa acaba sendo maior. A informação não é tão simples de se encontrar e, na maior parte das vezes, o candidato procura a pós por indicação de um colega ou por ter tido algum contato direto com um docente (congressos, eventos, etc).

Uma recomendação é sempre salutar: cursos de Gerontologia apresentarão um conteúdo programático mais abrangente do que os demais cursos que têm uma linha de pesquisa que faz alguma interlocução com essa área. Sendo um campo interdisciplinar, a temática do envelhecimento poderá ser desenvolvida em diversas esferas, como a sociológica, psicológica ou biológica. É por essa razão que o estudo do envelhecimento pode estar presente em diversos programas, incluindo as ciências básicas. O difícil é encontrarmos um programa com uma linha que vá ao encontro de nossos anseios acadêmicos futuros… Tudo dependerá, portanto, da pergunta de pesquisa que o candidato gostaria de responder. Somente a partir daí – da escolha do objeto de estudo e da formulação das perguntas iniciais – é que o candidato conseguirá triar as universidades e seus programas.

Outra recomendação: conheça diversos institutos de pesquisa e, consequentemente, diversos docentes. Agende visitas e converse com os pesquisadores/professores para se inteirar melhor do programa, das linhas, das exigências, da infraestrutura, das possibilidades de bolsa de estudos.

Abaixo apresentarei uma lista com os cursos Stricto Sensu que têm ligação com Gerontologia, direta ou indiretamente (clique nos links sublinhados para conhecer os programas):

  • Universidade de São Paulo – EACH USP: Gerontologia (Mestrado Acadêmico)
  • Universidade de São Paulo – Faculdade de Saúde Pública (FSP USP): Saúde Pública (obs.: linha de pesquisa em Saúde, Ciclos de Vida e Condições Sociais, com sublinha em Saúde e Envelhecimento)
  • Universidade de Campinas – Faculdade de Ciências Médicas (FCM UNICAMP): Gerontologia (Mestrado e Doutorado)
  • Universidade Federal de São Carlos: Gerontologia (Mestrado Acadêmico)
  • Universidade Federal do Rio Grande do Norte: Fisioterapia (obs.: área de concentração em Avaliação e Intervenção no Processo de Envelhecimento)
  • Instituto de Geriatria e Gerontologia PUC-RS: Gerontologia Biomédica (Mestrado e Doutorado) → programa com nota máxima pela CAPES (7)
  • PUC-SP: Gerontologia (Mestrado Acadêmico) – EM DESATIVAÇÃO
  • Universidade Católica de Brasília – UCB: Gerontologia (Mestrado e Doutorado)
  • Universidade Federal de São Paulo – Unifesp: Saúde Coletiva (obs.: Programa de Saúde Coletiva com área de concentração em Epidemiologia e linha de pesquisa em Epidemiologia do Envelhecimento e das Doenças Crônicas). Mestrado e Doutorado.
  • Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ: Psiquiatria e Saúde Mental (obs,: linha de pesquisa em Neuropsiquiatria Geriátrica). Mestrado e Doutorado.
  • Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ): Saúde Coletiva (obs.: dentro da área de concentração em Epidemiologia existe a linha de pesquisa em Envelhecimento, Saúde e Sociedade).
  • Universidade Federal de Pernambuco – UFPE: Gerontologia (Mestrado Acadêmico)
  • Universidade Federal de Santa Maria – UFSM: Gerontologia (Mestrado Acadêmico)
  • Fiocruz Minas: Saúde Coletiva (obs.: linha de pesquisa em Envelhecimento e Saúde). Mestrado e Doutorado.
  • Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG:
  • Faculdade de Medicina de Marília – FAMEMA: Saúde e Envelhecimento (Mestrado Acadêmico)
  • Universidade Cidade de São Paulo – UNICID: Doutorado em Ciências da Saúde (obs.: [1] linha de pesquisa em Doenças do Desenvolvimento e do Envelhecimento. [2] relacionado ao IAMSPE – para mais informações, clique aqui.)
  • Universidade São Judas Tadeu – USJT: Ciências do Envelhecimento (Mestrado Acadêmico)
  • Universidade de Passo Fundo – UPF: Envelhecimento Humano (Mestrado Acadêmico)
  • Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein – SBIBAE: Ciências da Saúde (obs.: linha de pesquisa em Envelhecimento)
  • Universidade Federal da Paraíba – UFPB: Gerontologia (Mestrado Profissional)
  • Instituto Educatie Hoog de Ensino e Pesquisa – EDUCATIE: Psicogerontologia (Mestrado Profissional).

Para se manter sempre atualizado em relação aos cursos existentes e suas respectivas notas, acompanhe na Plataforma Sucupira da CAPES e obtenha informações específicas sobre os programas, incluindo sites e contatos. Além disso, você poderá filtrar sua busca por nota de programa, localização, situação, modalidade e outros.

“(…) os programas brasileiros de pós-graduação voltados para a temática do envelhecimento passaram a ser criados principalmente ao final da década de 1990. O número de programas de especialização, mestrado e doutorado, ainda que crescente, é pequeno. A formação efetiva de mestres e doutores começou a acontecer “quase ontem”. Em que pese o fato de alguns cursos estarem em boa posição na avaliação dos organismos governamentais voltados para a formação de recursos humanos em nível de pós-graduação, a maioria ainda tem bastante que investir para galgar essa condição” [1]

Referência:
1. Prado Shirley Donizete, Sayd Jane Dutra. Os programas de pós-graduação em Geriatria e Gerontologia no Brasil. Textos Envelhecimento  [periódico na Internet]. 2003  [citado  2011  Jan  25] ;  6(2): 31-46. Disponível em: http://revista.unati.uerj.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-59282003000200003&lng=pt.
Nota de atualização: desde a primeira edição deste post, 7 anos atrás, a lista de programas aumentou consideravelmente, mostrando o quanto o estudo do envelhecimento vem avançando no Brasil. Ainda assim, a formação de pesquisadores de alto nível não atinge patamares elevados, pois se percebe a maior oferta de cursos no nível de Mestrado (modalidades Acadêmico e Profissional).