Arquivo da tag: Musicoterapia

Musicoterapia também é Carnaval!

Grito de Carnaval foi o tema abordado pela Musicoterapia, sexta-feira, 17/02, no LarEscola.

Por Ana Maria Caramujo

No dia 17 de fevereiro de 2012, das 13:30 horas às 16:30 horas, o Setor de Reabilitação Gerontológica do Lar Escola São Francisco deu seu Grito de Carnaval, por meio dos Grupos Musicoterapia-Motivação e Musicoterapia Preventiva.

Essa alegria se deu ao som das marchinhas de carnaval, máscaras, fru-frus, serpentinas e confetes pertencentes a um tempo em que as famílias brasileiras brincavam o carnaval de forma saudável e lúdica. Sabendo que a música evoca lembranças e recordações que faz emergir emoções e sentimentos, nada melhor do que as marchinhas de carnaval – preferências dos idosos – para promover alegria, descontração, ânimo para viver e desfrutar as benesses da vida.

Cuidadora familiar e paciente: atividade sentada

As estagiárias atuais, Gabriela Chinen e Letícia Tanelli, orientadas pela  supervisora Ana Maria Caramujo, do Curso de Graduação de Musicoterapia da FMU, sob a Coordenação de Maristela Smith, usam técnicas musicoterapêuticas próprias para desenvolver ou resgatar a autoestima, atenção, concentração; preservar a autonomia, a memória; buscar o autoconhecimento, dentre outros aspectos. Ingressam nos grupos de Musicoterapia pessoas com idades a partir dos 60, indicados pela equipe multiprofissional para a terapia por sofrerem de depressão, sentimento de solidão, por vezes incompreensão, além daqueles que almejam manter-se ativos e saudáveis. Os acompanhantes e cuidadores são bem-vindos e beneficiam-se, juntos, dessa nova forma de comunicação entre gerações, por meio dos sons,  da música e de todas as reminiscências que evocam.

Supervisora (Profa. Ana Maria Caramujo), estagiária Letícia Tanelli (de avental branco) e pacientes: atividade de grupo em roda

No nosso Grito de Carnaval, os pacientes do LarEscola resgataram as boas lembranças da infância, juventude, assim como a lembrança de pessoas muito queridas que com elas compartilharam tantos carnavais. E acreditem, quem chegou de cadeira de roda, bengala, triste, com dor ou insatisfeito com algo, durante a sessão de musicoterapia, ao cantar, dançar, brincar o nosso carnaval, acompanhando o ritmo com palmas, com o os braços, com os pés, com movimentos grupais e com instrumentos feitos com sucata, sentiram-se tão bem que quem estava na cadeira de rodas até conseguiu ficar em pé e dentro de suas possibilidades dançou e se movimentou com o corpo todo! Além disso, foi uma oportunidade incomparável, para aqueles que nunca brincaram um carnaval. Assim, Carnaval aqui no LarEscola é terapia. Todos saíram felizes, leves, eretos, com a sensação de renovação, de poder existir de forma digna e plena.

Em Musicoterapia, isso é possível, porque todo e qualquer instrumento ou objeto que produza som, assim como a música e os seus elementos sonoros, desde que tenha um significado para o paciente pode ser terapêutico.

O carnaval dentro de um programa musicoterapêutico pode trazer benefícios à saúde emocional, física, mental e espiritual. Tudo isso é possível porque o setting musicoterapêutico, quer dizer, o espaço musicoterapêutico pode ser um lugar “sagrado”, dependendo de quem o conduza, uma vez que nós terapeutas estamos o tempo todo lidando com o corpo que é o “templo do espírito”, com a alma e com a essência do Ser.

Os estímulos são oferecidos de acordo com as potencialidades e limites do paciente idoso. Estar descalço favorece a percepção vibratória.

Sexta-feira, o Grito de Carnaval não começou no Sambódromo, começou nos Grupos de Musicoterapia do Departamento de Gerontologia do LarEscola e foi um sucesso!

Saiba mais sobre musicoterapia

Para quem ainda não conhece a Musicoterapia, é um tratamento que utiliza a música, o som e os seus elementos sonoros para prevenir, diagnosticar e tratar dentro de um programa sistemático e planejado, com técnicas próprias, buscando a saúde física, psíquica, mental e espiritual. O musicoterapeuta e as estagiárias em musicoterapia planejam as sessões de acordo com o repertório musical dos pacientes, seu histórico sonoro e suas respectivas queixas.

Aqui, no Programa Ambulatorial da Gerontologia do LarEscola, há três tipos de atendimentos em musicoterapia: 1) Grupo de Idosos com Depressão; 2) Grupo de Prevenção e 3) Grupos Funcionais juntamente com a Terapia Ocupacional. Os encaminhamentos acontecem nas reuniões interdisciplinares, quer dizer, com todos os profissionais da saúde: Médico Geriatra e Médicos Residentes; Psicóloga; Fisioterapeutas e Estagiários; Fonoaudióloga; Terapeuta Ocupacional, Estagiárias de Musicoterapia e Musicoterapeuta; Assistentes Sociais, entre outros.

Deixo aqui nossos agradecimentos para a Coordenadora do Curso de Graduação em Musicoterapia da FMU – Professora Ms. Maristela Smith, para a Coordenadora da Gerontologia do LarEscola – Professora Ms. Renata Cereda, a Psicóloga Maria Inês da Silva o Geriatra Dr. Rodrigo Ambros Wallau, para a T.O. Maria Fernanda Kramm e estendidos a toda equipe do setor, pois sem eles não  seria possível desenvolver esse trabalho que tantos frutos tem colhido.

O nosso muito obrigada e até o próximo evento com as próximas notícias!

Anúncios

Música & Saúde: Musicoterapia e Idosos Institucionalizados

Música & Saúde: Musicoterapia e Idosos Institucionalizados.

Esta é uma contribuição do blog Música & Saúde a fazer-nos refletir sobre a relevância atual das instituições de longa permanência para idosos (ILPI) ou, como ainda são conhecidas, casas geriátricas, abrigos ou asilos. A matéria nos faz pensar que, apesar de o Estatuto do Idoso preconizar o cuidado no domicílio e comunidade, não podemos permitir que não seja preenchida a lacuna do cuidado às pessoas que não têm mais um núcleo familiar estável, eficiente, afetivo ou simplesmente  não têm qualquer vínculo familiar e, ao mesmo tempo, necessitam de auxílio para tomar suas decisões e conduzir suas vidas com dignidade.

As instituições devem continuar existindo, porém, sua prática precisa ser adequadamente fiscalizada e continuamente monitorada segundo padrão mínimo adotado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA (clique para ver a Resolução RDC/ANVISA nº 283, de 26 de setembro de 2005). Se respeitado à risca, esse padrão garante o ponto de partida da qualidade assistencial que, aliado aos esforços dos gestores, profissionais da saúde e pressão da comunidade, irá gradativamente substituir aquela imagem de decrepitude que nos vem à mente sempre que pensamos em ILPI.

É importante valorizarmos e multiplicarmos as ações inovadoras nessa área e mesmo as instituições que se destacam pela humanização, respeito integral às normas técnicas vigentes e custo-efetividade. A matéria então, expõe o caso do Grupo Vida: fundado em 1997, o Grupo Vida presta serviços gratuitos às pessoas com idade igual ou superior a 60 anos. Localizada em Barueri, SP, a entidade tem atuação nacional. A Musicoterapia foi implantada por meio do trabalho da Mt. Flávia Nogueira, autora do Blog Música e Saúde, com que o Setor de Reabilitação Gerontológica teve o prazer de trabalhar quando ela ainda era uma estagiária de graduação (bacharelado em Musicoterapia). O setor se orgulha muito de ter participado de uma fase de sua formação acadêmica!